Colóquio Internacional Camilo Castelo Branco: rumo aos 200 anos & I Encontro do Grupo de Pesquisa Camilo Castelo Branco (CNPq)

Nas últimas décadas, um número significativo de estudiosos, não apenas do Brasil e de Portugal, como de outros países, tem dedicado atenção à produção literária de Camilo Castelo Branco (1825-1890), permitindo a realização de trabalhos que, além de (re)visitarem textos do autor pouco estudados, também buscam uma revisão da volumosa fortuna crítica sobre as obras de Camilo, centrada majoritariamente em alguns poucos romances, mesmo o escritor tendo publicado uma vasta obra ao longo de sua carreira literária.

Após o adiamento, devido à pandemia de Covid-19, do I Encontro do Grupo de Pesquisa Camilo Castelo Branco, que estava previsto para acontecer em 2020, é com alegria que finalmente anunciamos a sua realização em 2023, de forma presencial. O Encontro objetiva reunir não apenas os membros do grupo de pesquisa, mas também todos os interessados na obra de Camilo Castelo Branco, desde professores doutores a pós-graduandos e alunos de iniciação científica, a fim de divulgar pesquisas que têm sido desenvolvidas sobre a obra do escritor, ou colocando seus textos em comparação com produções de outros autores, ou estabelecendo relações com as outras Artes, a História, a Filosofia, dentre outros campos dos saberes.

O evento de 2023 dará início ao ciclo de Colóquios Camilo Castelo Branco: rumo aos 200 anos, em comemoração ao bicentenário de nascimento do escritor, que acontecerá em 2025. Trata-se de uma parceria internacional entre a Universidade Estadual Paulista (IBILCE/UNESP), a Universidade Federal do Paraná (UFPR), a Universidade do Minho (Portugal) e a University of California, Santa Barbara (EUA). 

Colóquio Internacional Camilo Castelo Branco: rumo aos 200 anos e o I Encontro do Grupo de Pesquisa Camilo Castelo Branco (CNPq) acontecerão nos dias 02, 03 e 04 de outubro de 2023, no Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", câmpus de São José do Rio Preto (interior do estado de São Paulo).

A escolha dessas datas não foi aleatória. Na semana anterior, de 25 a 29 de setembro de 2023, será realizado o XXIX Congresso Internacional da Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa (ABRAPLIP), na Universidade Federal de São Carlos. Tendo-se em vista que muitos pesquisadores da área irão se deslocar até São Carlos, pensamos que seria conveniente que essas viagens pudessem ser aproveitadas para participarem dos dois eventos, já que a cidade de São José do Rio Preto fica a 2h30 de carro ou 3h de ônibus de São Carlos. Além disso, São José do Rio Preto tem um aeroporto com voos que fazem escala em São Paulo (capital), Campinas, Brasília e Belo Horizonte.

Não haverá cobrança de taxas de inscrição, nem para apresentações de trabalho, nem para ouvintes. Aceitaremos o envio de propostas de apresentação de trabalho até o dia 06 de março de 2023. O título e o resumo, de dez a quinze linhas, acompanhados de um breve resumo do curriculum vitae de até vinte linhas, devem ser enviados para o e-mail grupocamilocastelobranco@gmail.com. 

Atenciosamente,
Luciene Marie Pavanelo (UNESP)
Antonio Augusto Nery (UFPR)
Sérgio Guimarães de Sousa (Universidade do Minho)
André Corrêa de Sá (University of California, Santa Barbara)

DEMOCRACIA SEMPRE!

A Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa (ABRAPLIP) vem manifestar o seu veemente repúdio aos atos terroristas, golpistas e criminosos perpetrados ontem, em Brasília. Signatária da carta do Fórum das Ciências Humanas, Sociais, Sociais Aplicadas, Linguística, Letras e Artes (FCHSSALLA), a ABRAPLIP reitera a sua defesa ao Estado Democrático de Direito. Democracia sempre e ditadura nunca mais!

FCHSSAL - CONTRA O TERRORISMO

Prof. Dr. Jorge Vicente Valentim (UFSCar)
Presidente da ABRAPLIP (Gestão 2022-2023)

"Afetos, diálogos e resiliências: a literatura portuguesa e as literaturas de língua portuguesa no mundo pós-pandemia"

25 a 29 de setembro de 2023
Universidade Federal de São Carlos

É com grande satisfação que a Diretoria Executiva da ABRAPLIP divulga a Primeira Circular do XXIX Congresso Internacional da Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa e convida a todo(a)s a participar de mais uma edição.

Primeira Circular – Chamada para propostas de apresentação de trabalho e inscrição

O XXIX Congresso Internacional da ABRAPLIP, a ser realizado entre 25 e 29 de setembro de 2023, nas dependências da Universidade Federal de São Carlos, tem como tema central "Afetos, diálogos e resiliências: a literatura portuguesa e as literaturas de língua portuguesa no mundo pós-pandemia", objetivando refletir sobre o papel da literatura portuguesa, seja no seu aspecto individual e específico, seja em diálogo com as outras literaturas de países falantes da língua portuguesa (Angola, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Guiné-Bissau, Brasil, Timor Leste e Goa), sobretudo, neste novo presente que se constrói a partir da retomada das atividades presenciais, depois de dois anos de suspensão, em virtude da pandemia de covid-19.

VEJA AQUI A 1ª CIRCULAR INSCRIÇÕES

instruções

- As inscrições para apresentação de trabalhos no XXIX Congresso Internacional da ABRAPLIP ocorrerão entre os dias 02 de janeiro a 31 de maio de 2023, no próprio site da ABRAPLIP;

- Cada proposta de comunicação e/ou poster deverá ter entre 100 e 200 palavras;

- Serão aceitas propostas de comunicação submetidas por estudantes de pós-graduação, professore(a)s doutore(a)s e pesquisadores;

- Serão aceitas propostas de poster submetidas por estudantes de cursos de graduação, podendo ser resultado parcial ou final de pesquisa de IC (com ou sem bolsa) e/ou TCC;

- O pagamento da inscrição só deve ser feito após a recepção da carta de aceite;

- O pagamento da inscrição deverá ser feito de acordo com a categoria do(a) proponente a partir de depósito ou transferência para a conta corrente da ABRAPLIP. Os respectivos comprovantes deverão ser enviados diretamente para o email: congressoabraplip2023@gmail.com;

VALORES

INSTRUÇÕES PARA INSCRIÇÃO

Passo 1: Preenchimento e envio dos dados para apresentação de trabalho:

COMUNICAÇÃO PÔSTER

Passo 2: Depois do recebimento da carta de aceite, realizar pagamento da inscrição por transferência ou depósito na Conta Corrente da ABRAPLIP:

Dados Bancários:
Banco Itaú
Agência: 0281
Conta corrente: 99825-2
CNPJ: 00.622.201/0001-20

Passo 3: Envio do comprovante para o e-mail: congressoabraplip2023@gmail.com

Passo 4: Acompanhar as publicações das circulares do evento no site e na página do Facebook da Associação;

MENSAGEM DE FIM DE ANO

E chegamos a mais um final de ano, a mais um término de percurso. E como o de 2022 foi difícil. Muitos adoeceram, perderam amigo(a)s e parentes, viram cenas de ódio e de desrespeito à Ciência e à Educação, enfrentaram com energia e paciência discursos de negação e de ignorância. Mas, como bem já assinalara Camões, "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades". E, felizmente, estamos próximos de receber o ano de 2023, com expectativas e esperanças renovadas.

Que o ano vindouro seja um momento de renovação de planos, de resiliência, de reconstrução, e também de reencontro, afinal, teremos o XXIX Congresso da ABRAPLIP, de 25 a 29 de setembro de 2023, nas dependências da UFSCar (a 1ª circular sairá aqui no dia 02/01/2023).

Já próximos ao Natal, deixo com o(a)s amigo(a)s e participantes da ABRAPLIP duas quadras singelas do poeta Albano Martins:

"Sobre os ódios, sobre a morte
esperada, consentida,
paira a sombra dum menino
que desperta para a vida.

Fraternidade, harmonia,
recolhimento geral,
expectativa, alegria:
é tudo isto o Natal."

[MARTINS, Albano. 25 quadras de Natal. Porto: Ed. Universidade Fernando Pessoa, 2006, p. 43-45.]

 

Que o espírito de harmonia e fraternidade seja, realmente, uma realidade constante no ano que se aproxima.

A todo(a)s, os meus sinceros votos de um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de paz, equilíbrio, resiliência e esperança.

 

São Carlos, 23 de dezembro de 2022.

Prof. Dr. Jorge Vicente Valentim
Presidente da ABRAPLIP – Gestão 2022-2023

JOSÉ SARAMAGO (1922-2022) - CENTENÁRIO

Se 1922 é hoje celebrado como um ano extremamente agitado nos meios culturais brasileiros, em virtude da realização da Semana de Arte Moderna, em São Paulo, é certo afirmar que ele também é lembrado por outras efemérides.

Nascido na Vila de Azinhaga e depois transferindo-se para a cidade de Lisboa, José Saramago estreou na literatura com o romance Terra do pecado (1947), aos 25 anos, e desenvolveu um percurso literário multifacetado, com obras nos mais diferentes gêneros textuais, como poesia, crônicas, contos, romances, peças de teatro, libreto de ópera, textos de opinião e literatura infanto-juvenil.

É autor de obras emblemáticas, tais como Levantado do Chão (1980), Memorial do convento (1981), O ano da morte de Ricardo Reis (1984), O evangelho segundo Jesus Cristo (1991), A caverna (2000) e A viagem do elefante (2008), dentre outros. Alguns de seus romances, inclusive, foram adaptados para o cinema, ganhando uma repercussão para além das fronteiras escritas, como são os casos de A jangada de pedra (1986 – filme homônimo de 2008, dirigido por George Sluizer), Ensaio sobre a cegueira (1995 – Cegueira, película de 2008, dirigida pelo brasileiro Fernando Meirelles) e O homem duplicado (2002 – filme homônimo de 2013 sob direção de Denis Villeneuve).

Sua fortuna crítica inclui ao mais diversos nomes oriundos de Portugal, Brasil, Espanha, Argentina, Itália, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Alemanha, dentro outros espaços que seus leitores conhecem bem, do mesmo modo como seus títulos encontram-se traduzidos em mais de 40 idiomas. Trata-se de um dos autores de língua portuguesa mais estudado e sobre quem a academia vem produzindo uma quantidade monumental de artigos, ensaios, dissertações de mestrado, teses de doutorado, livros e capítulos de livros.

Exatamente em 07 de dezembro de 1998, há 24 anos, José Saramago recebia na Academia Sueca o Prêmio Nobel de Literatura, uma das mais importantes distinções mundiais, tornando-se o único escritor de língua portuguesa, até o momento, com tal galardão. No discurso proferido nessa data, em Estocolmo, o autor de In nomine dei explica as suas origens humildes e o seu processo de criação ficcional. Na sua conclusão, Saramago faz questão de reiterar a sua condição de aprendiz diante da arte (e, por que não dizer, diante da própria vida?) e se pronuncia da seguinte forma:

"Depois, o aprendiz, como se tentasse exorcizar os monstros engendrados pela cegueira da razão, pôs-se a escrever a mais simples de todas as histórias: uma pessoa que vai à procura de outra pessoa apenas porque compreendeu que a vida não tem nada mais importante que pedir a um ser humano. O livro chama-se Todos os Nomes. Não escritos, todos os nossos nomes estão lá. Os nomes dos vivos e os nomes dos mortos. Termino. A voz que leu estas páginas quis ser o eco das vozes conjuntas das minhas personagens. Não tenho, a bem dizer, mais voz que a voz que elas tiverem. Perdoai-me se vos pareceu pouco isto que para mim é tudo" (SARAMAGO, 1998, p. 12).

Nesse texto, as marcas do exercício da recordação (e não poderia ser outra a expressão que melhor o caracteriza, afinal "res" = coisa e "cordis" = coração, ou seja, coisas que estão guardadas no coração e só ali poderiam permanecer) ficam nítidas, posto que são expressas com uma verve carinhosa e sensível.

Todos nós, quando encontramos um(a) escritor(a), guardamos dele(a) algum tipo de memória ou mesmo de recordação. No meu caso pessoal, tenho de José Saramago duas imagens muito diferentes, mas que demonstram o percurso cheio de sucesso do escritor português.

Se não me falha a memória, era 1988 ou 1989, na Faculdade de Letras da UFRJ, José Saramago sentado numa cadeira no Setor de Literatura Portuguesa, do Departamento de Letras Vernáculas, tomando um cafezinho e conversando muito atentamente com professores e alunos, dentre eles Teresa Cristina Cerdeira (a primeira pesquisadora a publicar em Portugal um trabalho sobre a sua obra, resultado de sua Tese de Doutorado, defendida na UFRJ, na mesma época), Jorge Fernandes da Silveira, Gilda Santos, Simone Pinto de Oliveira, Luci Ruas e Monica Figueiredo. Claro. Isso foi num tempo muito antes do Prêmio Nobel. Já em 2000, dois anos após a premiação, o lançamento no Brasil do romance A caverna teve de ser feito no Museu Histórico Nacional, na Praça XV (RJ), por causa da quantidade de pessoas presentes. Ele não pode autografar, mas assinou pacientemente algumas centenas de exemplares. A fila era gigantesca, e lá estava eu com Teresa Cristina Cerdeira. Apesar da espera e do cansaço, valeu a pena. Tenho hoje guardado duas relíquias: a primeira edição brasileira de A caverna e O evangelho segundo Jesus Cristo, meu romance preferido.

Homem do seu tempo, com um espírito inquieto e inquietante, sempre preocupado com questões sociais, econômicas, políticas e ecológicas, dentre outras, José Saramago constitui um nome paradigmático não apenas na literatura portuguesa, mas nas literaturas de língua portuguesa.

No ano, portanto, em que comemoramos a importante efeméride do Centenário de Nascimento de seu nascimento (1922-2022), a Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa (ABRAPLIP) felicita a Fundação José Saramago, bem como todos os seus familiares e, em especial, a Dra. Pilar del Río, sua esposa e incansável divulgadora do seu legado.

Num dos textos escritos originalmente para o Blog, e inserido posteriormente em O caderno (2009), ao falar do escritor brasileiro Jorge Amado, Saramago não esconde a sua admiração e destaca uma série de qualidades do autor de Tendas dos milagres. Ao encerrar, declara: "Diz-se que pelo dedo se conhece o gigante. Aí está, pois, o dedo do gigante, o dedo de Jorge Amado" (SARAMAGO, 2009, p. 63).

Ora, se olharmos a trajetória de José Saramago e entrarmos nos seus múltiplos universos criados, não é exatamente essa a mesma imagem que temos? Concluo, enfim, parafraseando o autor: "Aí está, pois, o dedo do gigante, o dedo de José Saramago".

São Carlos, SP, 07 de dezembro de 2022.

Prof. Dr. Jorge Vicente Valentim
Presidente da ABRAPLIP – Gestão 2022-2023

Referências:

SARAMAGO, José. De como a personagem foi mestre e o autor seu aprendiz, 1998. Disponível em: https://www.josesaramago.org/wp-content/uploads/2021/06/discursos_estocolmo_portugues.pdf Acesso em 05/12/2022.

______. O caderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

11º Colóquio do PPLB - Polo de Pesquisas Luso-Brasileiras